BANCÁRIA DA CAIXA EM JUIZ DE FORA TESTA POSITIVO PARA COVID-19

A Caixa Econômica Federal confirmou um caso de Covid-19 entre seus funcionários em Juiz de Fora. A bancária trabalha na agência da Rua Padre Café, no Bairro São Mateus, e está em isolamento domiciliar, com acompanhamento médico. Segundo a Caixa, “os demais empregados da agência receberam orientações específicas e foram liberados para trabalho remoto, seguindo orientações do protocolo do Ministério da Saúde”. A instituição não respondeu se houve testagem dos demais funcionários, mas informou que o local passou por higienização completa e funcionará normalmente nesta sexta.

Segundo a vice-presidente do Sindicato dos Bancários de Juiz de Fora (Sintraf-JF), Livia Terra, apesar de não apresentar sintomas, a funcionária teria feito o teste por conta própria, na intenção de visitar familiares, e o resultado teria dado positivo. O último dia trabalhado pela bancária teria sido na sexta-feira passada (29).

Ainda conforme Livia, a limpeza das unidades já estava sendo reforçada desde o início da pandemia no Brasil, sobretudo após o início do pagamento do auxílio emergencial. No entanto, o caso desta bancária, afirma, traz preocupação com a falta de testagem entre a categoria. “Os bancos propagam a todo tempo que estão contribuindo com milhões de testes para o país, mas não são capazes de testar seus próprios funcionários. Se não fosse o motivo particular, a empregada estaria trabalhando normalmente e, provavelmente, contagiaria outros empregados e clientes”, observa.

Até esta quinta, o Sindicato dos Bancários contabilizava 19 casos registrados na classe na cidade, sendo necessário reforçar as reivindicações já formalizadas à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), para que seja feita a testagem em bancários. “É possível que existam muitos casos semelhantes Brasil afora, sem que haja o diagnóstico correto e o afastamento do trabalhador assintomático”, afirma Lívia.

Esquema de segurança
Em resposta à Tribuna, a Caixa informou que “o fluxo de clientes está sendo controlado no interior das unidades e nas salas de autoatendimento, sendo permitida a entrada de uma ou duas pessoas por máquina, de acordo com o espaço físico disponível”. A medida visa a segurança de clientes, funcionários e colaboradores, na intenção de manter o distanciamento mínimo de um metro entre as pessoas.

“O banco também reforçou o protocolo de higienização das unidades, priorizando a limpeza das superfícies de contato humano, portas de entrada, maçanetas e vidros do entorno, teclados dos terminais de autoatendimento, balcões de caixa, torneiras e aparelhos sanitários com periodicidade mínima de seis vezes ao dia”, destaca a instituição. A Caixa orienta, ainda, que os clientes deem preferência aos canais digitais e de telesserviço. (Fonte: Tribuna de Minas)

Deixe uma resposta