CONTEC ENTREGA A MINUTA DE REIVINDICAÇÕES À FENABAN

Na noite de ontem (23), a Contec (Confederação Nacional dos Bancários) entregou, por videoconferência, a pauta de revindicações dos bancários do setor privado para a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos).

Na ocasião, o presidente da Contec, Lourenço Ferreira do Prado, cumprimentou o presidente da Fenaban, Isaac Sidney Menezes, bem como o diretor Henrique Szapiro e o negociador Adauto Duarte, além de membros da Comissão de Negociação e todos os dirigentes bancários que participaram do ato.
Pelo Paraná, participaram da entrega da minuta o presidente da Federação (Feeb-PR), Gladir Basso (também presidente do Sindicato de Cascavel); e os presidentes dos Sindicatos de Maringá e Ponta Grossa, Claudecir de Oliveira Souza e Gilberto Lopedz Leite, respectivamente.

Na reunião, Lourenço do Prado registrou o pedido de renovação da CCT, com a retirada da limitação de idade para os dirigentes e o acréscimo de cláusulas relacionadas à preocupação com a covid-19 e ao trabalho home office, destacando para a necessidade de organização do um calendário de negociações construtivas e produtivas, para conclusão no próximo mês e, na hipótese de algum atraso, que seja assegurada a data-base da categoria e praticadas as cláusulas da CCT hoje vigentes.

Corroborando as preocupações do presidente da Contec, também falaram os presidentes das Federações de Goiás e Tocantins, Sérgio Costa; de Minas Gerais, Alfredo Horsth; do Paraná, Gladir Basso; de Santa Catarina, Armando Machado; e o presidente do Sindicato dos Bancários do Amazonas, Nindberg Barbosa.

Gladir Basso disse, na ocasião, “que neste ano, apesar das dificuldades da pandemia, esperamos que os bancos, através da comissão de negociação, liderada pelo negociador da Fenaban, Adauto Duarte, tenham a sensibilidade de buscar junto ao movimento sindical a construção de uma convenção coletiva de trabalho e os acordos do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, que atendam a expectativa e a necessidade da categoria”.

REIVINDICAÇÕES
Em seguida, Gladir elencou as principais reivindicações desta campanha salarial, como:

– Aumento real de salários em 5% e 10% sobre os tíquetes e cestas, além da inflação (INPC) dos últimos doze meses;
– Renovação e a garantia total dos atuais acordos coletivos;
– Estabilidade no emprego de todos os bancários;
– Aumento da PLR (Participação nos Lucros e Resultados);
– Defesa intransigente dos bancos públicos;
– Fim das metas abusivas.
– Sobre o trabalho home office, na minuta há uma cláusula para regular o trabalho home office, que não pode ser imposto pelo banco, para estabelecer, entre outras coisas, que os custos do teletrabalho sejam arcados pelos empregados, assim como o fornecimento dos equipamentos ergonômicos. A cláusula também proíbe que sejam retirados direitos dos trabalhadores que cumprirem suas funções em suas casas, à exceção do vale-transporte/combustível, que deve ser fornecido com valor proporcional aos dias de comparecimento do trabalhador no banco, definindo que estes tenham de realizar suas atividades no próprio local de trabalho, pelo menos, uma vez por semana.


O negociador da Fenaban ficou de encaminhar proposta de três datas para início das negociações.

BB E CAIXA
Nesta sexta-feira (24), às 15h, a Contec fará a entrega das minutas de reivindicações dos empregados do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.

Deixe uma resposta