FUNCIONÁRIOS DO BANCO DO BRASIL APROVAM PROPOSTA DE RECUPERAÇÃO DO PLANO DE SAÚDE

Os associados da Cassi, plano de saúde dos funcionários do Banco do Brasil, aprovaram com 81.982 mil votos a mudança estatutária que possibilita a recuperação financeira do plano e a adequação dos indicadores que motivaram a instauração da direção fiscal pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), órgão regulador do setor.

A votação atingiu os dois terços de aprovação, o que permite que a mudança possa ser implantada, com o primeiro débito da nova contribuição em 20 de dezembro, informou a assessoria do plano.

Como o Estadão/Broadcast mostrou na última sexta-feira, 22, esta é a terceira vez que a Cassi tentava alterar seu estatuto para aumentar a contribuição dos associados e salvar as finanças do plano, que enfrenta um descasamento de capital que já ultrapassa os R$ 900 milhões e risco real de liquidação da carteira.

Desde o ano passado, a Cassi vinha sofrendo revezes nas tentativas de aprovar junto aos funcionários do banco propostas para equalizar o déficit do plano, que atende funcionários da ativa e já aposentados, além de suas famílias. A primeira tentativa, no fim do ano passado, foi rejeitada. A segunda, em maio deste ano, conseguiu maioria de votos, mas não atingiu o quórum mínimo necessário para ser aprovada.

A empresa tinha até hoje para votar uma terceira proposta, e obteve sucesso. A ANS exige a apresentação até o dia 10 de janeiro de um plano de saneamento que comprove a possibilidade a readequação financeira da Cassi em um período de 36 meses. Sem uma solução para o problema, o órgão regulador pode determinar a alienação da carteira do plano para outras empresas e, no limite, a sua liquidação.

A nova proposta prevê, além de uma nova contribuição dos associados, o ingresso imediato de mais de R$ 1 bilhão no caixa da Cassi já em dezembro, por meio de aportes do próprio Banco do Brasil. (Fonte: Estadão)

 

 

SINTRAF-GV:

Facebook