NA CONTRAMÃO DO CORONAVÍRUS, ITAÚ PODE LUCRAR MAIS NO 2º TRIMESTRE

Se há um consenso, é o de que a safra de balanços do segundo trimestre mostrará, sem meias palavras, quão profundo foi o impacto da pandemia de coronavírus na economia brasileira e mundial.

Nenhum analista espera milagres das empresas – apenas uma certa altivez. Mas, e se alguém lucrasse mais que no primeiro trimestre? E se fosse o Itaú Unibanco?

Diante dos números já divulgados sobre o desempenho de importantes setores nos últimos meses, que apontam para uma catástrofe, pode soar como contrassenso, mas a possibilidade é levantada pelo BTG Pactual, em relatório divulgado nesta quinta-feira (18).

Assinada por Eduardo Rosman e Thomas Peredo, a análise aponta alguns fatores que poderiam levar o Itaú Unibanco a lucrar mais que os R$ 3,9 bilhões divulgados em março. O interessante é que a dupla observa que, em seu modelo, o lucro esperado é de R$ 3,7 bilhões, devido a um volume maior de provisionamento.

“Cremos que há boas chances de o lucro líquido venha um pouco acima do que vimos no primeiro trimestre”, afirmam. Entre os fatores que contribuiriam para um desempenho melhor do banco, a atuação no mercado de capitais é um destaque.

De um lado, os analistas acreditam que a receita gerada por juros decorrentes de operações no mercado tende a crescer, após o desempenho negativo em março. De outro, as taxas de corretagem continuam firmes.

Os analistas acrescentam que a retomada do volume de transações com cartão de crédito, após um mau resultado em abril, pode ajudar o Itaú Unibanco a superar, ainda que por uma pequena diferença, o lucro do primeiro trimestre.

Os analistas reiteraram sua recomendação de compra dos papéis, com preço-alvo de R$ 27, o que representa uma alta potencial de apenas 1,8% sobre a cotação usada como referência. (Fonte: Money Time)

Deixe uma resposta