VALE-ALIMENTAÇÃO E VALE-TRANSPORTE NÃO FARÃO SENTIDO COM HOME OFFICE, DIZ PRESIDENTE DO TRT-RJ

O presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Rio (TRT-RJ), José Fonseca Martins Junior, afirmou que o mercado de trabalho vai precisar se adaptar à pandemia do coronavírus.

Segundo ele, haverá mais “home office”, informalidade e a empresa não precisará pagar benefícios como vale-alimentação e vale-transporte.

“A pandemia nos obriga a fazer uma revisão da interpretação das normas do direito do trabalho”, disse Martins durante “live” promovida pelos jornais “Valor Econômico” e “O Globo.

Para o magistrado, “se a gente matar as empresas, vamos estar matando os empregados também”. “O Judiciário vai precisar ter equilíbrio na interpretação das normas.”

Segundo ele, devido à pandemia, haverá uma nova modalidade de trabalho através do “home office”, com mais uso de videoconferências e automação do trabalho. Ele afirmou ainda que, com as mudanças, haverá também redução de custos, pois as empresas não precisarão mais de grandes escritórios para abrigar todos os empregados.

“Com o ‘home office’, não fará sentido pagar vale-alimentação e vale-transporte”, defendeu.
O presidente do TRT-RJ também afirmou que, com a crise trazida pela covid-19, o Brasil também enfrentará um aumento da informalidade. (Fonte: Valor Investe)

(Conteúdo publicado originalmente no Valor PRO, serviço de notícias em tempo real do Valor)

Deixe uma resposta